Lidando com o medo do desconhecido

O medo do desconhecido é uma tendência humana muito comum. A maioria das pessoas está constantemente empenhada em garantir que seu mundo funcione exatamente como sua mente imagina. No entanto, a realidade é que não há possibilidade de crescimento sem abraçar o desconhecido.

Quando desligamos o mistério ou o fator de admiração da vida, não apenas reduzimos o crescimento, mas também, sem saber, tornamos a vida mecânica. Assim como não há graça em assistir a um jogo cujo resultado já é conhecido, a vida também será muito chata e mecânica se tudo for predestinado.

A vida é uma combinação do que é certo e do que é desconhecido. Embora pareçam opostos, a vida é incompleta se um deles estiver faltando. Dentro da esfera da percepção limitada, há uma parte em nós que está certa sobre algumas coisas. Há outra parte que está sempre investigando o desconhecido, provocando espanto sobre muitos mistérios.

Os sábios são os que adquirem as habilidades para enfrentar e lidar com a incerteza. Se alguém se sentir confortável com o mundo de constantes mudanças, poderá responder proativamente e aproveitar as vastas possibilidades que a vida oferece.

O caminho dos sábios é ver a incerteza com um sentimento de admiração. Admiração é o começo de novos conhecimentos. A criatividade amanhece estendendo a admiração. A atitude de “eu sei” torna a pessoa fechada e limitada. “Não sei” abre caminho para novas possibilidades. Quando alguém se move com ‘eu sei tudo’, ele ou ela fica preso a um conceito fixo.

Muitas vezes, alguém diz “não sei” por frustração. Transformar aquele feio “eu não sei” em um “eu não sei!”, que é marcado pelo espanto que surge do conhecimento das infinitas possibilidades, é o caminho do crescimento. Quanto mais se sabe, mais admiração surge sobre o desconhecido. Dizem lindamente nos Upanishads: “Quem diz que eu não sei, sabe, e quem diz que eu sei não sabe!”. Dizem que o que se sabe nem é a ponta do iceberg do desconhecido.

Admiração não é sobre algo que é velho. A certeza é sobre algo que não é novo. A vida é uma combinação de velho e novo. A pessoa que só se pergunta parece perdida e confusa. E quem tem certeza de tudo, toma as coisas como garantidas e tende a se tornar inerte e sem graça. Saber abraçar ambos acrescenta brilho e charme à vida. A capacidade de atingir o equilíbrio perfeito de garantia com uma sensação de reverência é um sinal de crescimento na vida.

A admiração surge quando a mente encontra algo que considera vasto. Traz uma sensação de expansão. Quando estamos admirados, vemos as coisas de maneira diferente e nossos poderes de observação se tornam mais aguçados. O sentimento de admiração expande nosso senso de tempo e nos torna vivos e envolvidos no presente, independentemente do passado e do futuro.

Uma sensação de espanto traz vigília e, quando somos despertados, vemos que toda a criação está cheia de maravilhas. 

Se alguém não se impressiona com a magnificência dessa criação, seus olhos ainda estão para abrir. Em um estado desperto, quando os olhos se fecham com uma sensação de reverência, isso é meditação!

Nossa percepção do mundo realmente não importa o que é. Essa criação é um segredo insondável e, quando nos tornamos seguros, seus mistérios se aprofundam. Aprofundar o mistério da criação é ciência e aprofundar o mistério do Eu é espiritualidade. Se nem a ciência nem a espiritualidade podem criar maravilhas em você, então você está profundamente adormecido.

Admiração cria o desejo de se aprofundar. Sem essa intensa busca do homem para saber mais sobre a vida, todo o progresso feito pela humanidade não teria sido possível. Embora tenhamos nascido curiosos, tendemos a perder a natureza exploradora quando nos desconectamos do real fator de admiração da vida. Recuperar nosso senso de curiosidade é importante para nosso sucesso.

Uma mente focada e calma traz inocência e estado sem julgamento, que é o ponto de partida de qualquer conhecimento. É por isso que a meditação regular é vital para criar uma lista limpa de conhecimento! Quando começamos a fazer muitas perguntas sem julgamento, facetas desconhecidas da vida começam a se desenrolar.

Pergunte o que é relevante e sobre algo que você realmente deseja saber. Teste além das perguntas que podem ser respondidas em sim ou não. Admiração é uma pergunta para a qual não buscamos uma resposta. Abandone a sensação de estar certo e de ter o conhecimento. Admire o mundo que você ainda não conhece. Há charme além do mundano. O mundo desconhecido está além do que é visto e imaginado. Feche os olhos, medite, acalme a mente e aprofunde no encantamento!

Dizem que a admiração é o prefácio do yoga, a união. Seja a maravilha que você é!

-Sri Sri Ravi Shankar.

Sri Sri Ravi Shankar

Sri Sri Ravi Shankar é um líder humanitário, mestre espiritual e embaixador da paz. Sua visão de uma sociedade livre de estresse e de violência uniu milhões de pessoas em todo o mundo por meio de projetos de serviço social e dos cursos da Arte de Viver.