YAMAS: O código de ética de um Yogi

Viver eticamente, de acordo com os ensinamentos do livro Yoga Sutra do autor e Mestre Patanjali, é o primeiro passo no verdadeiro caminho do Yoga. Na sua escritura, ele apresenta os cincos preceitos éticos chamados de Yamas, que dão diretrizes básicas para viver uma vida de realização pessoal que também beneficiará a sociedade. Ele então deixa clara a consequência de não seguir esses ensinamentos: Simplesmente continuaremos sofrendo.

Há certas leis que podem ser aplicadas em diferentes lugares, pessoas  e tempos, mas os  Yamas são princípios universais e atemporais:

Ahimsa – Não violência

 Um animal não pratica a violência sem alguma razão. Os animais selvagens só caçam quando têm fome e quando querem comer. Mas os seres humanos, em nome de Deus ou do amor, ferem uns aos outros. A violência insensata prevalece no mundo em nome de um país, em nome de uma religião, em nome de uma raça. Praticar ahimsa é estar constantemente vigilante, no momento presente, observar a em interação com os outros, os pensamentos, intenções e ações. Nasce da intenção de agir com clareza e amor.

Satya – Verdade

É estar com algo que não está mudando, em harmonia com a verdade suprema. Honestidade é  quando as ações corretas estão relacionadas aos julgamentos dos outros, mas integridade é agir de maneira honesta  independente da opinião ou julgamento alheio. Nos vedas é dito que quanto maior for a sua verdade, maior será a sua força interior.

Asteya – Não roubar

Para roubar, é preciso estar atolado em avidya , ou ignorância sobre a natureza da realidade. Avidya é o oposto do yoga, que nos conecta com tudo o que é.

Brahmacharya – Mover-se no Brahman, mover-se na grandeza

Brahmacharya é uma palavra em sânscrito que é traduzida muitas vezes como “celibato”, mas Brahma é o nome de uma divindade, char significa “andar” e ya significa “ativamente”, então significa “caminhar com Deus”. É ir além das pequenas identificações, não se interessar nas formas do corpo, é ver o infinito.

Aparigraha – Não Acumular

A ganância não se limita apenas aos bens materiais. Podemos ter fome de iluminação, asanas difíceis, poderes espirituais ou felicidade perfeita. Uma maneira de evitar a armadilha da ganância é seguir o conselho dos sábios: seja feliz com o que você tem. Esse espírito de verdadeira renúncia diminuirá o poder do aparigraha. Quando nos apegamos ao que temos, perdemos a capacidade de estarmos abertos para receber o que precisamos.

 

A prática diária do Yamas elimina ou reduz o acúmulo de mau karma, além de evitar a drenagem da nossa energia. Quando praticamos os Yamas, estamos nos esforçando para viver uma vida mais saudável, mais santa e mais pacífica e, ao mesmo tempo, fortalecemos nossos poderes de consciência, vontade e discernimento. Quanto mais cultivamos ações conscientes e habilidosas, mais fácil será navegar emoções fortes e padrões de pensamentos negativos – e muito menos chances de agir com a programação inconsciente.