Diafragma: O músculo das emoções

Para um bem-estar total do corpo e da mente muitos são os músculos que devem ser mantidos em equilíbrio, dentre eles o principal é o diafragma. É considerado o principal músculo da respiração e, se não funcionar bem, pode causar vários problemas, não apenas na respiração.

Na verdade, também é chamado de músculo das emoções, porque muitos estados emocionais estão ligados a este músculo. Para um praticante de yoga, cuidar do diafragma é essencial e, portanto, é importante conhecê-lo. 

O diafragma é um músculo em forma de cúpula que separa o abdome da cavidade torácica. Esta forma é devido aos órgãos inferiores que ele cobre e o lado direito é ligeiramente mais alto que o esquerdo devido ao fígado. A parte central é composta principalmente por fibras tendíneas, enquanto a parte externa é composta principalmente por fibras musculares. Sua localização reflete sua importância crucial para a saúde.

Na verdade, acima está em contato com o coração, através do pericárdio, e com os pulmões na parte mais distante, próximo às costelas. Na parte inferior, entretanto, está em contato com o fígado, o estômago, o baço, as glândulas supra-renais, os rins e o pâncreas.

diafragrama-yogateria2

Diafragma e a respiração

Como já mencionado, o diafragma é o principal músculo da respiração e, portanto, é essencial que funcione corretamente. Existem outros músculos auxilares que contribuem para a respiração, mas sua função é limitada em comparação ao diafragma.

Durante o processo da respiração a inalação sofre um processo ativo, o diafragma se contrai e abaixa, o que faz com que o abdômen se expanda para fora. Isso atrai o ar de fora à entrar nos pulmões e, assim, expandir a caixa torácica.
Durante a expiração, um processo passivo, o diafragma relaxa, retorna à sua posição anterior, a cavidade torácica é reduzida e assim o ar sai dos pulmões.

Quando o diafragma está saudável, ocorre um equilíbrio nos ritmos respiratórios, maior oxigenação do sangue e uma automassagem contínua nos órgãos abdominais, o que favorece a digestão. Mas muitas vezes acontece que esse músculo não funciona perfeitamente e a respiração natural é prejudicada.

Diafragma e as emoções

diafragma-yogateria3A principal causa do desequilíbrio do diafragma são as emoções. Quando você sente emoções “positivas”, como alegria, felicidade, relaxamento, amor e etc. O diafragma fica mais relaxado e funciona melhor. Isso repercute em um melhor funcionamento do aparelho respiratório em primeiro lugar e depois também do aparelho digestivo e circulatório. Proporcionando saúde e bem-estar psicofísico .

Por outro lado, quando há emoções “negativas” como ódio, medo, raiva, ciúme e etc. O diafragma se enrijece, se contrai, a respiração diafragmática se torna irregular e também ocorre muita tensão mental. Isso geralmente causa distúrbios no sistema digestivo. 

O primeiro passo para uma maior saúde física e mental é investigar se você está respirando corretamente com o diafragma. No início ou final da sua prática de yoga, você pode se sentar no seu tapete de yoga, sobre um bloco ou uma almofada de meditação e observar a sua respiração naturalmente. O importante neste caso é que você volte sua atenção para dentro e perceba, objetivamente e sem julgamento, como você respira.

Sua respiração envolve principalmente o abdômen?
Ou ocorre principalmente no peito?
É regular ou há interrupções?
O abdome está relaxado ou contraído na maior parte do tempo?

Estas são algumas perguntas que ajudarão a entender se você está respirando corretamente ou não, e a melhorar a consciência do diafragma. Para o bem-estar geral, é importante que as emoções não sejam reprimidas nem que assumam o controle total. Se você as reprime, você as carregam para dentro e elas seguem você, assim como sua sombra, afetando negativamente o seu humor. 

Para não permitir que isso aconteça, é importante, antes de tudo, ficar mais atento aos seus estados emocionais. É importante manter o diafragma relaxado o máximo possível, o que o ajuda a se livrar das emoções que surgem. Para aumentar sua consciência das emoções e deixá-las ir, recomendamos que você conheça e prática as técnicas de respiração e meditação da Arte de Viver.