Ayurveda e Alimentação: Como escolher a comida certa

Cada um de nós começa a jornada do yoga por diferentes razões seja por curiosidade ou para obter algum benefício físico. Com o passar do tempo, ao se aprofundar no yoga, é muito comum que o estilo de vida se torne mais saudável e que o conhecimento dessa filosofia tão antiga vire habitual. 

O caminho do yoga é se sentir parte com o todo e saber que toda a ação individual afeta o bem-estar do coletivo, é assumir a responsabilidade pelo o mundo. Numa das ramificações dos 8 sutras do Patanjali, ele cita Ahisma – praticar a arte de não violência consigo mesmo e nem com os outros. Uma das formas de aplicar ahisma na vida cotidiana é ter o devido cuidado com o corpo, evitar comidas com excesso de fritura e açúcar e dar preferência a alimentos naturais: Legumes, vegetais, grãos, verduras e etc.

Nos tempos antigos, a dieta de um yogue era chamada de phala mula (dieta de frutas e raízes), que consiste em tubérculos, feijões, cereais, nozes, frutas, vegetais de folhas largas. Tudo veio espontaneamente da terra para nutrir e dar energia ao ser humano. Hoje, muitos praticantes de yoga adotam uma dieta vegana ou crua para limitar o impacto ambiental ou por questões éticas.

A base da alimentação do Yoga é Ayurveda

Ayurveda é a medicina milenar da índia, onde o autocuidado e a cura acontece de forma natural. Na ayurveda a alimentação é divida em três aspectos, gunas: Sattva, Rajas e Tamas. Esses gunas estão presente em cada um de nós e nos alimentos, e por esse motivo podem ser enfatizados ou reduzidos com base no consumo de certos alimentos. Dada a natureza mutável do ser humano, os gunas também mudam constantemente e é possível que um dos três domine os demais em um determinado período da vida. 

Sattva

Sattva é pureza, harmonia e equilíbrio da criação. A comida sattvica é fresca e cresce em harmonia com a natureza sem a necessidade de adição de produtos químicos. Por esse motivo, os alimentos satvicos são alimentos provenientes da natureza, contêm energia máxima – prana – e limpa os canais nervosos – nadis – da melhor maneira possível. Alimentação sátvica proporciona uma mente saudável e tranquila, e uma saúde próspera. Frutas, legumes, cereais, legumes, nozes, farinhas integrais, sementes e mel são considerados alimentos sativos.

Rajas

Na natureza, uma força está presente desde o início, que perturba o equilíbrio e introduz o caos. A qualidade de Rajas vem na forma de mudanças e alterações, desequilíbrios e instabilidades emocionais. Desejo, atração, mudanças de humor, ansiedade, agitação são qualidades enfatizadas pela comida rajásica. Quando o alimento rajásico é predominante na nutrição, a pessoa fica inquieta. Especiarias picantes, café, chá preto, peixe, ovos, sal e chocolate são considerados alimentos puramente rajásicos.

Tamas

Assim como há uma qualidade ativa e caótica na natureza, há também uma parte passiva e sombria. Isto é Tamas: resistente a mudanças, insensível, livre de emoções conflitantes. Aqueles que são dominados por qualidades tamásicas costumam ter depressão, apatia e falta de curiosidade sobre o mundo. A comida tamásica não nutre nem o corpo nem a mente. Reduz o sistema imunológico e a capacidade de autocura, além de despertar a raiva e a ganância. Os alimentos tamásicos são: carne, cebola, alho, alimentos enlatados e fermentados, alimentos industriais, álcool.

Cada parte do universo é caracterizada por um Guna, bem como todo tipo de ação do ser humano. Para uma condição de saúde feliz e tranquila, dê preferência para alimentos sátvicos para despertar a parte ativa do espírito. O aluno de yoga  que se alimenta desse alimento, reduzindo os rajas e tamas, percebe os inúmeros benefícios da prática física e do pranayama (respiração consciente).

É importante ressaltar que uma alimentação saudável deve ser uma escolha e não um dever. Isso significa que comer alimentos naturais e limpos deve ser uma necessidade que o corpo comunica e não uma imposição iniciada do lado de fora. A medida certa é o princípio de toda mudança duradoura: Se queremos nos acostumar com esse novo estilo de vida, não eliminamos drasticamente os alimentos rajásicos e tamásicos. Dê tempo ao  seu corpo para se acostumar lentamente à sua ausência, dando cada vez mais lugar para alimentos frescos e saudáveis.