Meditação: As melhores posturas para meditar

A postura na hora de meditar faz toda diferença, quanto mais confortável e relaxada estiver mais fácil será a meditação. Pois, o corpo relaxado, contribui para uma mente mais tranquila, do mesmo modo, o corpo desconfortável ou rígido, favorece uma mente inquieta e agitada. Além disso, uma posição meditativa correta pode ajudar a melhorar a postura, enquanto uma posição incorreta pode causar dor nas costas, pescoço e muito mais.

 

A importância da postura na hora de meditar

Algumas vezes, nas primeiras tentativas, sentar-se para meditar pode ser um tanto quanto desconfortável. Os joelhos ou as costas doem, o corpo fica inquieto, muitos pensamentos etc. Todas essas dificuldades, todo meditador já enfrentou em sua jornada.

No yoga, existem centenas, senão milhares, de posturas que o corpo pode assumir. Separamos alguns critérios importantes para te ajudar a escolher a sua postura de meditação:

 

Estabilidade é essencial na meditação, pois assim a sua atenção será para dentro. Se uma posição não for estável, a mente estará ocupada estabilizando o corpo e, portanto, sua atenção será para o externo e não o interno.

 

Durável. Muitas posturas do yoga são ótimas porque trazem grandes benefícios, mas não são boas para a meditação porque não podem ser mantidas por muito tempo. Ao invés disso, os sábios indianos criaram posturas específicas de meditação, que podem ser mantidas por um longo tempo e garantir que a mente possa se voltar para dentro.

 

Coluna ereta. De acordo com o yoga, na coluna existem os principais canais por onde flui a energia (os nadis) e, se não estiver ereta, a energia não pode fluir. Quando as costas estão eretas, por outro lado, a pessoa está acordada e alerta, enquanto quando as costas estão dobradas a energia não flui, sendo fácil adormecer.

 

Alerta. Esta característica está correlacionada com a anterior porque as posições meditativas permitem que a coluna fique ereta, sendo possível encontrar o estágio de alerta e relaxamento. O sono é um dos obstáculos da meditação e uma postura correta é o primeiro passo para superá-lo.

 

As melhores posturas para meditar

 

sukhasana-postura-facil-yogateria

 

 Sukhasana – Postura Fácil

Sukha em sânscrito significa fácil e é assim chamado porque é uma posição “relativamente simples” em comparação com outras, mesmo que não seja mantida por um longo tempo. Às vezes, dependendo do estilo é chamado também de um quarto de lótus.

Consiste em cruzar as pernas e colocar os joelhos sobre os pés opostos. As costas são retas, o peitoral aberto e as mãos podem ser colocadas de várias maneiras.

É uma posição que também pode ser assumida por quem tem problemas nos joelhos ou quem não tem flexibilidade nos quadris.

Normalmente, essa posição é tomada no início e no final de uma aula de yoga para recitar o Om ou qualquer outro mantra.

 

vjrasana-postura-diamante-yogateria

 

Vajrasana – Postura do diamante

Vajra em sânscrito significa relâmpago e diamante; na verdade, é conhecido como a postura do diamante. É assim chamado porque é dito que se alguém permanecer em meditação por muito tempo usando este asana, a mente se torna forte como um raio e brilhante como um diamante.

Para fazer a postura, apenas ajoelhe-se e sente-se sobre os calcanhares. Os joelhos e os pés estão juntos. As costas são retas, o peitoral aberto, o pescoço paralelo ao chão e as mãos podem ser abertas e colocadas nas coxas ou também pode ser usado um mudra.

Embora a postura do diamante seja excelente para aqueles que são particularmente rígidos na região do quadril e não podem se sentar no chão, também pode ser um pouco intenso para os joelhos e tornozelos. Para evitar dores nos joelhos, coloque uma almofada entre as panturrilhas e as coxas. Para aliviar os tornozelos, ponha uma almofada sob as canelas.

Se você sentir dor nas duas áreas, experimente colocar um travesseiro entre as coxas e panturrilhas e outro sob as canelas.

Outra maneira de assumir essa posição é usar um banco de meditação, em vez de almofadas. Isso permitirá que você levante ligeiramente a pélvis e, assim, haverá menos pressão nos joelhos e tornozelos.

Esta posição meditativa é uma variante simplificada do lótus completo e é, em minha opinião, um pouco mais avançada do que as anteriores, pois requer boa flexibilidade dos quadris.

 

Virasana-postura-heroi-yogateria

 

 Virasana, postura do herói

É muito semelhante ao Vajrasana, a posição do diamante, mas neste caso os pés estão tão abertos quanto a pélvis e as nádegas repousam no chão. É muito intenso para os joelhos.

 

ardha-padmasana-meia-lotus-postura-yogateria

 

Ardha Padmasana, postura de meia lótus

Assim como a palavra diz, isso é feito colocando um pé na coxa oposta, como no lótus, enquanto o outro pé passa por baixo da outra perna, perto da pelve. As costas são retas, os ombros abertos e as mãos podem ser colocados de inúmeras maneiras.

É levemente intenso para o joelho da perna que está posicionado no meio lótus, principalmente se você não for flexível nos quadris. Se não pratica há muito tempo, aconselhamos que não faça com o corpo frio, deixe essa postura para o final da sessão de yoga, quando o corpo está mais aberto e relaxado.

 

padmasana-postura- flor- lotus-yogateria

 

Padmasana, postura de lótus

A posição de lótus é talvez a posição de yoga mais conhecida e pode ser considerada o símbolo da espiritualidade e da meditação. Leva o nome da flor de lótus e confere beleza, estabilidade e tranquilidade ao praticante, que são por acaso as características da flor.

É realizada trazendo o pé direito sobre a coxa esquerda, o mais próximo possível da pelve, e o pé esquerdo passa sobre a coxa direita. As costas são retas, o peitoral aberto e o pescoço esticado para cima.

Embora bonita e sem dúvida muito estável, esta é uma das posições mais difíceis de realizar e só é adequada para quem pratica yoga há muito tempo ou para quem é particularmente flexível na zona dos quadris. Na verdade, é muito intenso para os joelhos e, se feito muito cedo pode causar mais mal do que bem. Melhor ser humilde e paciente na prática.

Às vezes, pode levar muitos anos antes que você consiga fazê-lo corretamente e mantê-lo por um longo tempo para meditação.

Inicialmente é melhor tentar fazê-lo sob os olhos de um professor e no final de uma sessão de yoga, quando o corpo está mais aberto e relaxado.

 

Sentado na cadeira

Esta não é uma posição de yoga, mas, se você simplesmente não consegue sentar-se no chão, pode ser uma alternativa para começar a meditar.

Consiste em sentar-se com as costas retas em uma cadeira, mas não tão próximo às costas como está acostumado, mas sim de frente. Isso permite que a pelve gire ligeiramente para a frente e, assim, fornece maior apoio para as costas. As solas dos pés devem ficar totalmente no chão, mas se não tocarem no chão, você também pode usar um suporte entre os pés e o chão.

 

savasana-postura-cadaver

 

Savasana, postura do cadáver

Deve ser assumida apenas por quem tem problemas físicos graves e não pode sentar-se no chão ou na cadeira. A postura do cadáver é uma excelente técnica de relaxamento, mas não a recomendo para a maioria dos praticantes se o propósito for meditar, porque é particularmente muito relaxante e você tende a adormecer.

 

O Corpo e a Meditação

Depois de ver as posições, é importante analisar as principais partes do corpo que são importantes para a meditação.

  • Mãos

Não existe uma posição exata para as mãos porque, dependendo do tipo de meditação ou tradição, as mãos estarão posicionadas de forma diferente. Elas podem ser simplesmente colocadas nas coxas e viradas para baixo ou para cima, ou você também pode usar um mudra meditativo, ou seja, um gesto com a mão que ajuda a mente a se concentrar. Os mais comuns são os seguintes:

  • Chi mudra que consiste em colocar as costas das mãos nas coxas e unir a ponta do dedo indicador com a do polegar. Às vezes, também é praticado com a ponta do dedo indicador indo até a base do polegar.

 

chin-mudra-yogateria

 

  • Gyana mudra que é como o anterior, mas com as mãos voltadas para baixo.

 

Gyana-mudra-yogateria

 

  • Dhyana mudra que consiste em colocar as mãos na frente da pelve, uma acima da outra e voltadas para cima. A esquerda desce. Os polegares podem ficar juntos ou ficar relaxados também.

Dhyana-mudra-yogateria

 

  • Coluna

Deve permanecer ereta durante a meditação. Provavelmente para quem está começando a praticar, depois de alguns minutos os músculos posturais tendem a se cansar e as costas tendem a se dobrar, mas é só uma questão de treinamento. Sempre que você perceber que sua coluna não está mais tão reta como no início da meditação, basta colocá-la de volta na posição vertical. Com o tempo, seus músculos se fortalecerão e você será capaz de manter a postura correta por mais tempo.

  • Joelhos

Assim como os quadris, são outra área onde ocorre frequentemente a dor. Esta é uma junta delicada e, portanto, você deve ter cuidado para não esticar excessivamente. Especialmente se você tentar praticar posturas mais desafiadoras, como lótus ou meio lótus, pode sentir dor nos joelhos. Tente ajustar a posição para que a dor desapareça. Você pode usar um acessório de yoga para criar espaço nas articulações. Além disso, se sentir dor nos joelhos ao fazer uma posição mais desafiadora, como a de lótus, evite fazê-la e escolha uma mais fácil.

  • Ombros

Essa região deve estar aberta e relaxada. Os ombros podem estar tensos no início e podem fechar, mesmo assim é uma questão de hábito. Quando você descobrir que eles estão se fechando, tudo o que você precisa fazer é reabri-los e relaxá-los novamente.

  • Cabeça

Geralmente tende a cair para a frente, enquanto o pescoço deve estar bem ereto para cima. Novamente, é uma questão de treinar os músculos do pescoço e reposicioná-los sempre que o alinhamento adequado for perdido.

  • Olhos

Geralmente devem ser fechados durante a meditação, pois isso evita distrações externas e facilita a concentração. Às vezes, porém, de acordo com algumas tradições, deve-se meditar com os olhos entreabertos, pois isso facilitaria a meditação informal, ou seja, aquela que se faz no dia a dia.

 

Acessórios de meditação

Utilizar os acessórios de meditação pode tornar esse momento ainda mais prazeroso. Pois os acessórios ajudam a colunar a permanecer ereta, além de estabilizar o corpo durante a meditação.

 

almofada-meditacao-yogateria-6

 

  • Almofada de meditação

A almofada é provavelmente o suporte mais usado de todos os tempos. Quando você se senta em um travesseiro, a pelve é elevada e, assim, os quadris relaxam. Para que isso aconteça, os quadris devem estar na altura dos joelhos ou, melhor ainda, um pouco acima. Se seus joelhos estiverem acima do quadril, você deve usar outra almofada travesseiro. Às vezes, quem sofre de dores nas costas deve sempre usar esse suporte.

 

banco-meditacao-yogateria

 

  • Banco de meditação

É outro suporte que pode ser muito útil, ele é usado na posição de diamante e destina-se a apoiar a pelve. Como mencionado anteriormente, esta posição pode ser um pouco intensa demais para os joelhos e tornozelos. Graças ao banquinho, por outro lado, ambos os problemas podem ser resolvidos: o peso não está mais nos tornozelos, mas é sustentado pelo banquinho, enquanto os joelhos não estão mais excessivamente dobrados para que possam relaxar.

 

  • Manta de yoga

As toalhas de yoga podem ser muito útil se estiver frio. Você pode colocá-la sobre os ombros ou até mesmo sobre as pernas.

 

Encontre a sua postura e permaneça!

É muito comum os praticantes terem o hábito de mudar constantemente a postura durante a meditação. Porém, é importante tentar várias posições, porque só assim você pode encontrar a posição que mais lhe convier.

Portanto, experimente uma postura para cada meditação e veja qual é a melhor para o seu corpo, para a sua situação física e para a sua idade. Claro que é melhor tentar várias vezes.

Recomendamos que ao tentar uma posição, permaneça nela durante toda a meditação. Mover-se constante enquanto medita só trará mais agitação para a mente.

Procure ficar o mais quieta possível. Os inconvenientes e dificuldades que surgem durante a prática devem ser resolvidos e não evitados mudando de posição. Dor, mal-estar, mal-estar e vontade de mover-se surgirão em qualquer caso e a única forma de sair vitorioso é encará-los na prática.

Um dos propósitos dos asanas é preparar o corpo para a meditação e, somente depois de muita prática, a pessoa pode se sentar “confortavelmente” em qualquer posição meditativa. As posições permitem fortalecer as costas e o pescoço, abrir o peito, relaxar os quadris e girar a pelve, coisas fundamentais para assumir uma posição meditativa correta e mantê-la por muito tempo.

Não é por acaso que a concentração – dharana e a meditação – dhyana são respectivamente o sexto e o sétimo sutras do caminho de Ashtanga Yoga descrito por Patanjali nos Yoga Sutras. Portanto, uma ótima dica é preparar o corpo para meditar, praticando alguns asanas antes.

  • Fora de estoque

    Almofada Lua Maharaja

    R$149
      • lótus / amora
      • madurai / bege
      • mandala / azul escuro
      • paisley / petróleo
  • Almofada Rondo Maharaja

    R$179
      • lótus / amora
      • madurai / bege
      • mandala / azul escuro
      • paisley / petróleo
      • bandhani / preto e branco
  • Fora de estoque

    Bloco de Yoga Cortiça Natural

    R$79
    Leia mais
  • Zafu Maharaja – Almofada pufe

    R$227
      • lótus / amora
      • madurai / bege
      • mandala / azul escuro
      • paisley / petróleo
      • bandhani / preto e branco